Março102014
“A gente muda, muda muito, mas nunca se muda um do outro. A gente vive vivendo e se encantando cada dia mais.”
Março72014

"Eu devo ser meu maior exemplo", pensei…

…e comecei a agir como tal.

De um dia para o outro? Não, talvez de um ano para o outro… Essas coisas mudam, a gente muda! O mundo vai mudando e a gente tenta acompanhar, às vezes… E às vezes tenta fugir dele também!

E foi assim, numa dessas fugas, que eu comecei a reparar em mim mesmo… Procurei me divertir comigo, sair comigo, conversar comigo (sim, e em voz alta!), viajar comigo e aprender comigo.

E, somente a partir daí, comecei a me relacionar bem com os outros. Foi sabendo os meus limites que comecei a ver os limites alheios e a respeitá-los com mais franqueza.

Assumo que nunca tirei certas coisas da cabeça, mas não por que elas sejam interessantes demais. Mas para que uma eterna lembrança do que passei fosse gerada na minha mente e nunca me fizesse esquecer de todo o caminho que percorri.

Foram dias duros…

Dias sem fim!

Mas ninguém sabe, apenas eu.

Agora, que me conheço bem mais, posso me tratar dos males do passado.

Poucas pessoas sabem que para curar feridas do passado é necessário acrescentar vida ao presente.

E só foi me conhecendo tão bem que eu descobri que sou capaz de criar essa vida, de dar essa vida e de me apaixonar por essa vida.

Essa é pra você, Marcela. Obrigado pela vida que você traz aos meus dias, às minhas noites, aos meus sonhos, ao meu presente, à minha vida e ao meu futuro… Se os deuses, os astros, os mágicos e a mãe natureza quiserem, estaremos juntos!

Eu te amo.

Fevereiro122014

E você?

[…]

Como você se vê no amor: procurando quem se encaixe com você ou apenas deixando que alguém tente se encaixar? Como você se vê na amizade: sendo acolhido por alguns ou procurando acolher alguns? Como você se vê como ser humano: você é algo ou está sendo algo? Como você se vê no trabalho: fazendo sua parte ou deixando-a para alguém? Como você se vê na sociedade: buscando a liberdade que deseja ou reprimindo-a em alguém? Como você se vê no mundo?

Procurando o amor? A amizade? As pessoas? O sucesso? A fama?

Como cada pessoa se vê é o diferencial da existência humana. Pelé não seria “Pelé” se ele tivesse se enxergado como pintor ou como ator. E isso serve para o mundo inteiro, não somente para o Pelé. Entende o que eu digo?

Isso serve para mim, que vos escreve agora. Também serve para você que lê. Isto serve até para os que não sabem ler.

Viver é celebrar-se o dia inteiro.

Viver é construir um mundo em você. Um mundo de informações, desejos, méritos, memórias… É um armazém, uma bagagem, para as nossas experiências. Viver é tentar ser as respostas para as perguntas no início do texto.

E você? Como se vê no mundo?

Se eu me perguntasse isso todos os dias, a resposta seria diferente todos os dias.

Uma nova pessoa nasce a cada vez que esta mesma adormece.

Viver, depois de tanto escrito, também é apenas amar.

É sentir a combinação do abraço. É entender as palavras escritas no lábio e faladas no beijo. É atrair a significância inteira do mundo para dentro de si… E assim explorá-la com alguém. É suspender-se da gravidade na mágica de um sorriso. É deliciar-se com aquele cantar natural. É perceber quando as ondas estão a seu favor. É pedir por mais um beijo… E mais um! E mais um!

Sim, tudo isso também é viver. Os pequenos gestos são compreendidos em momentos curtos demais… Vivê-los é a melhor forma de apreciá-los.

Essas sensações que a gente capta na TV são apenas pensamentos de uma mente perambulante no outro lado do planeta. Cheguei à conclusão de que não quero mais viver de escutar os outros falarem suas experiências. Quero sair lá e viver antes que o tempo acabe.

E você? Como se vê? Acha que se conhece ou que se reconhece?

Fevereiro52014
Equilíbrio;
Liberdade;
União.

Equilíbrio;

Liberdade;

União.

Janeiro262014

Walk of life