Sempre entre balanços
  • Músicas para ouvir “high”

    1 - Still haven’t found what I’m looking for (U2)

    Essa música, em especial, foi o tema da minha formatura para que ela sempre me lembre que nós nunca devemos encontrar, definitivamente, aquilo que procuramos. Alcançamos nossos objetivos, claro, mas é preciso sempre renová-los, seguir em frente, batalha após batalha. Ela é extremamente importante se você estiver desmotivado ou preguiçoso.

    2 - Get lucky (Daft Punk)

    O ritmo é dançante demais! Sem contar nas entonações que a voz do cantor assume durante a performance. Uma música perfeita para agraciar os ouvidos durante um momento de paz!

    3 - Águas de março (Tom Jobim e Elis Regina)

    Me arrepiei quando a música começou, por que a voz de Elis, suave, soa como um sussurro no ouvido. Daí o contraste com a voz grave de Antônio gera uma percepção musical gostosa, pois os versos são “engraçados”. Uma ótima música para testar sua acuidade sonora por conter muitos elementos musicais.

    4 - Misguided ghosts (Paramore)

    Uma música para se ouvir deitado, de olhos fechados, sentindo-se apenas o ressoar do violão e a voz calma e afinadíssima de Hayley Williams. Perfeita para os momentos de nostalgia.

    5 - Country roads (John Denver)

    Uma música para os momentos de nostalgia, também, como a de Paramore, mas o gênero desta é diferente: um country na voz do grande John Denver. Essa música é pra quem está com saudade de casa, com o coração apertado e resolveu apertar aquela “bazooka” pra lembrar dos tempos bons. E, não se entende por “longe de casa”, apenas aqueles que estão geograficamente distantes, mas todos aqueles que sentem falta de um lugar ou um momento.

    6 - In my secret life (Leonard Cohen)

    Não sei bem qual é o gênero musical deste rapaz, mas acredito que seja um blues que se modernizou com o tempo. A voz grave e marcante do cantor combina perfeitamente com a melodia e com os back vocals, de maneira que as vozes soam uníssonas em tons diferentes (e distantes!). É uma música para refletir um pouco sobre a vida e sobre os segredos que acumulamos ao longo dos anos.

    7 - Bohemian Rhapsody (Queen)

    Uma verdadeira arte! Feita para apreciar as diversas mudanças de tons, os gritos, a teatralidade, o drama e todos os elementos da melodia. Uma verdadeira obra de arte!

    8 - Everlasting light (The black keys)

    É uma ótima música para quem está gostando de alguém. Perfeita para lembrar e relembrar e desejar bem e amar!

    9 - The kids aren’t alright (The Offspring)

    Música perfeita para lembrar dos tempos de adolescência, loucura, hormônios, rock n’ roll e muito álcool. Quem não gosta de lembrar destes tempos, não é? Principalmente depois de um verdinho! Então, esta música é para todos que tiveram suas adolescências dentro do punk, sempre no movimento alternativo!

    10 - Contexto (Planet Hemp)

    Por que a gente quer saber: quem é que joga a fumaça pro alto? Nesta música, recomendo prestar atenção na letra e nos vários instrumentos que compõem a melodia. Um rap/samba de qualidade com os grandes Marcelo D2 e B-Negão comandando o bonde.

  • O livro do amanhã - Cecelia Ahern
  • "Acho que a maioria das pessoas entra nas livrarias sem a menor ideia do que querem comprar. De algum modo, os livros ficam ali, quase que por magia, desejosos que as pessoas os escolham. A pessoa certa para o livro certo. Parece que já sabem de qual vida precisam fazer parte, em qual delas podem fazer diferença ou podem ensinar uma lição, pôr um sorriso no rosto no momento preciso. Penso em livros de forma muito diferente agora."
  • É…

    E que seja, hoje, proclamado o dia da tristeza, no meu calendário.

    "Nada pessoal", é começando daí que eu vou insistindo nessa prosa. Quando sua namorada disser que "não é nada pessoal", é por que o sentimento se foi. Torna tudo tão indiferente, como se o sentimento pudesse ser objetivado, pudesse ser traduzido em outra forma de falar. Como se o próprio sentimento não fosse "pessoal, em sua essência.

    Mas aí eu me pergunto: é esse o meu carma? Estou fadado à eterna inconstância nos relacionamentos? Por que eu me lembro de estarmos bem até dois dias atrás e um simples descompasso fez ruir nosso castelo inteiro. E os planos, as viagens, as vontades de ficarmos juntos um do outro… isso tudo se acabou em menos de um dia!

    E eu assumo que fui covarde e desleal em alguns pontos nos meus relacionamentos passados, mas nesse? Não! Eu não fui. Não agi com maldade e eu tenho pessoas de prova, pessoas a quem eu confessei certos momentos e que estão dispostas a contar as histórias. Mas isso não funcionará, certo? Por que sempre vai se repetir aquele velho ciclo de “por que você não me prova?”.

    O interessante é que nunca conseguiremos provar. A gente só prova pra gente, mesmo… nunca esquecerei disso! Perder um amor por uma atitude impensada é meio excêntrico, pra mim. Eu costumo pensar tanto, que desisto de muitas coisas. Mas, dessa vez, não! Eu fui de cabeça, mergulhei no infinito do nosso oceano, sem rejeitar uma gota dessa sua imensidão. Dessa vez, eu fiz valer a pena cada segundo e, mais uma vez, eu senti o romance, eu senti a vontade de cuidar e curar um relacionamento.

    Mas esse erro mudou nossas vidas, nos separou. Será que isso não poderia ser perdoado? Nem se eu pedir perdão? Implorar? Pedir de joelhos? Não?

    Eu estou me sentindo muito mal, muito sobrecarregado. Como eu pude achar que dias como esse não aconteceriam novamente? Como eu pude ser tão ingênuo de não ver que essa relação terminaria logo? De não ver que essa coisa de amor é tudo invenção de gente que não tem o que fazer? Que grande desperdício de tempo.

    Minha cabeça tá um grande tornado de sensações, estou pensando por trinta e cinco pessoas, mais ou menos. E só de lembrar que fui chamado de “criança” por que eu não gosto de brigas e tento evitá-las ao máximo…

    Sinceramente, eu fico calado para não falar besteira e depois me arrepender. Mas eu devo ter falado alguma coisa, sempre tem algo que se interpreta mal. Sempre tem aquela palavrinha que é escolhida errada ou aquele nome feio que saiu sem querer. Sei lá, eu conseguiria suportar. Por amor já suportei coisas piores. Quando não era amor, eu simplesmente desistia.

    E nós sabemos identificar quando não é amor. O problema é que nunca conseguimos, de fato, anunciar isso ao nosso parceiro. É covardia, traição e um eterno “blá blá blá”. Mas a gente sabe. E se eu realmente tô insistindo, se realmente eu aprendi algo nesses últimos meses, é que a gente não desiste do que nos faz bem, mesmo que, por algumas vezes, a gente tenha que se ferir um pouco.

    Mas, eu aprendi. E isso vai ser muito importante.

  • Você sabe que pode contar comigo, para sempre.

    Pode me chamar de amor, se quiser. Ou se achar melhor, pode me chamar de “seu”. Se sentir ciúmes, me chame atenção. Quando se sentir triste, eu me chamarei felicidade.

    Quando você se sentir sozinha, eu serei um abraço. Quando se sentir sufocada, eu serei seu espaço. Seu espaço para se abrir, voar, impressionar. Seu espaço para ser mulher, ser viva e sentir-se livre. Enfim, quando estiver precisando de amor, eu serei o que você precisar.

    E quando sentir saudade, eu saberei como poderemos nos encontrar. E eu sei que está na hora de voltarmos a nos amar, todos os dias, esquecermos que somos dois e apostarmos na unidade.

    Eu te protejo, amor, se você precisar.

  • Eu senti

    Eu senti você chegando.

    Nos sonhos, nos desejos, nos anseios. Eu senti você chegando!

    Eu senti cada minuto diferente, cada batida mais intensa, cada passo era pra frente. Eu senti uma vibração na sua voz, um brilho no olho e um cheiro no seu cabelo. E aí eu sabia que você estava chegando!

    Eu senti saudade de amar, de ter alguém e quando eu te senti pertinho de mim, não pude deixar passar, mesmo você ousando me perder. Eu me retirei quando preciso e voltei quando nós dois precisávamos de um elo. Eu fui a ponte erguida após várias pausas. Eu me sinto importante e sinto como se eu tivesse controle sobre o meu destino.

    Finalmente, alguém me fez sentir poderoso, como se minha opinião pudesse mudar o curso da história. Da história… da nossa história!

    Eu senti você chegando e eu estava certo. E ainda estou, pois você chegou sem intenção de partir. Como se tudo estivesse certo, e tudo está!

    Não saia, não deixe, não parta. Eu sinto que precisamos ficar aqui, para que eu não possa te sentir partindo, mesmo sabendo que um dia, um dia lá no futuro, você precisará sair de mim. Mas, não… não saia agora!